Publicado por: Denis Luque | 15/06/2009

Festa Junina

“Acarajé! Sanduíche de mortadela! Fogazza!” O grito do homem atrás do balcão me chama a atenção, enquanto saboreio um gyoza com shoyu. Sentado à uma mesa próxima ao palco, escuto o DJ tocar axé enquanto espera os violeiros chegarem. O bingo já anuncia seus números do outro lado da festa. A diversidade de comida é grande. Experimento uma sopa de feijão pra espantar o frio. Numa barraca próxima, uma baiana típica vestida à caráter baiano sorri bonita enquanto vende seus espetinhos de camarão. Dá até água na boca! Ao lado, o cachorro-quente vem sem purê, mas dá pra matar a fome.

A sobremesa tem ainda um espaço no estômago, não quis deixar de provar aqueles morangos cobertos com chocolate. Observo crianças brincando naquela piscina de bolinhas coloridas enquanto os pais apreciam sanduíches de pernil. Todas as bandeirinhas coloridas levam o nome de um patrocinador. Atrás dos balcões os chapéus de palha dão lugar às touquinhas de proteção, dessas que não deixam o cabelo cair na comida. Os aventais tomam os lugares daqueles tradicionais vestidos caipiras, e não se usam mais os sapatinhos de salto baixo pois os tênis são mais confortáveis…

O vento frio do finzinho de outono sopra forte, arrepio, festa juninaencolho, olho pro céu. Sinto-me um “jumper” num filme de Doug Liman. Pareço estar em diversos lugares quase que instantaneamente. Onde foi que ficou a fogueira mesmo?  “Ah, não tem não, moço. É muito perigoso!” Os barulhos das biribinhas ainda me tentam convencer de que estou numa festa junina, mas minha visão me trai. Os gostos do quentão e do vinho quente se misturam aos gostos das comidas japonesa, bahiana, italiana, árabe e demais improvisos. Fico pensando nas festas juninas de antes da tal globalização… Havia fogueira, pinhão, amendoim, pé-de-moleque, pipoca, maçã do amor, vestidos caipiras e trancinhas, chapéus de palha e camisas xadrez, barraca do beijo, barraca da cadeia, música típica, brincadeiras, adivinhas, correio do amor, bandeirinhas (inocentes bandeirinhas) coloridas, balões, dança de quadrilhas, pau de sebo. Como era mesmo aquela palavra que caiu de moda há algum tempo? Ah, sim… Tradição! Ficou para trás por conta da global evolução!

                           Denis Luque

Anúncios

Responses

  1. Perdoe minha invasão…Porém estava eu sozinha, sem ter o que fazer neste fim de segunda feira e resolvi olhar alguns blogs em busca de novidades e encontrei o seu! Nunca vi tanta coerência para comentar sobre a globalização usando um exemplo tão simples como “festa junina”! Eu, também sinto falta das antigas festas, com comidas e roupas TÍPICAS, gente dançando em volta da fogueira, dançando quadrilha…Que saudade das frases : “Olha a cobra”e/ou “A ponte quebrou”!…O “pula fogueira iá iá, pula fogueira iô iô” parece que foi deixado para trás, assim como muita coisa nesse mundo louco!!!Bom, parabéns pelo blog. Um abraço!Sucesso..

  2. Pois é, Denis, ou estamos ficando velhos, ou as coisas estão mudando e muito!

    Infelizmente aquela tradição das festas juninas com fogueiras, comidas típicas e somente típicas, correio do amor, quadrilhas, roupas típicas, barraca do beijo, dentre tantas outras cosas boas, ficou pra tás.

    Felizes somos por um dia vinvenciarmos isso. Ou não, né? Por agora, termos que nos deparar com esse novo feitio de festas juninas! rs

    Um grande abraço!
    Pauline.

    • adorei todos os comentarios,que saudadesssssssssssssssssss

  3. Denis,

    Lendo seu texto, pensei… porque quando acompanhamos a globalização, temos que deixar pr trás nossas tradições? O ser humano tem capacidade pr conciliar!

    Outro dia, ensinando uma música pr meu neto
    “O menino da Porteira”, ele ficou alucinado!! e decorou a música em minutos… só tendo seis anos! então penso…
    nós adultos é que estamos deixando pr trás nossas tradições não ensinando aos que estão vindo!
    Me deparei com isto, vivendo esta experiência num dia destes e lendo seu texto!

    Parabéns!! adorei!!!
    Vc tem esta capacidade – de me fazer sentir e estar no lugar do texto.
    Grande beijo

    Idalina

  4. Há, eu sempre começava a chorar quando meu pai era preso. hehehehehe…
    Realmente, hj em dia é difícil achar tradição nas coisas… muito bom o seu texto! =]
    bjss

  5. ée Denis, as coisas estão mudando mesmo! Antes era muito melhor! como vc mesmo disse a palavra TRADIÇÃO ficou para trás. Infelizmente é nisso que esse mundo está “evoluindo”.

    Parabéns pelo texto! É muito bom.
    Beijo

    Priscila.

  6. Eu ainda dei sorte de pegar alguns anos na infância com festas juninas “de verdade” (tenho 19) e como tenho saudade. Eram muitas festas espalhadas pelos bairros, o pessoal da rua se organizava e faziam.. era muito bom. Hoje além de serem poucas (aqui onde eu moro, Ipatinga) a qualidade caiu muito. A única que eu fui esse ano tinha uma fogueira, mas surpresa: ficou apagada. Ótimo texto, abraço.

  7. Adorei o texto, nostálgico.

  8. Pois é…é o mundo em que vivemos. As culturas indo embora, as tradições se desfazendo, infelizemente. É a globalização! Parabéns pelo texto, muito bom. Simples assim, consegue passar a mensagem e fazer a critca claramente! Parabéns! beijo

  9. Nossa, texto muito bom,está de parabéns! Bela visão através de algo tão simples, tão corriqueiro…
    É, lendo seu texto, deu um aperto dentro do peito, uma saudade dos velhos tempos… Sou nova, mas ainda tive tempo de apreciar a “verdadeira’ festa junina, com direito a fogueira e tudo mais!
    Mais uma vez, está de parabéns pelo texto!
    Abraços

  10. Sinceramente, nunca tinha reparado em como a Globalização afeta neste tipo de coisa. Realmente, antigamente as pessoas era bem simples e adoravam seguir tradições, agora, tradição é ‘breguice’ segundo as ‘regrinhas’ do mundo atual.
    Acho , que como falou a Idalina logo acima, os adultos estão deixando de passar tradições à seus filhos, e por isso que ela se perde.

    adorei seu blog, você escreve muitíssimo bem.

    Beijos.

  11. Como um texto relativamente curto trás tanta riqueza??? Adorei… E, só pra constar… Sinto falta principalmente do correio do amor e da barraquinha do beijo… Hehehehe… Parabéns… Se permitir… Sempre estarei por aqui!!!

  12. Olá Denis!

    Concordo com a Idalina. Apesar de ainda não ser adulta, penso que realmente as tradições estão sendo perdidas ao passar das gerações…
    A preocupação, falta de tempo, estresse, tão citados hoje em várias mídias, não deixam tempo para as coisas simples, e melhores da vida.
    Mas eu sou meu “careta” – como chaman quem ainda conserva algumas tradições, apesar da idade (17) – e espero passar isso ainda para os meus filhos, daqui uns anos.
    Apesar de toda a pressão imposta pela “globalização” precisamos saber os nossos limites e, principalmente, valorizar nossos princípios…

    Beijos! “)
    > Gostei de seus outros textos também!

  13. Ótimo o texto “festa junina”, que bom pela pouca idade que eu tinha, as minhas foram as “tradicionais” ainda!

  14. Amei mesmo… Onde está a tradição?? Não se ver em todos os lugares, eu como moro no nordeste (PB), ainda vejo um pouco da tradição das festas juninas por aqui! Que pena que esta acabando!
    É a primeira vez que visito o seu blog, e posso te falar meu segredo… Adorei! Tambem te sigo no twitter, me segui lá! Beijos

  15. É uma pena mesmo, aqui na Bahia eu só frequentei SJ no interior onde ainda encontramos festas tradicionais, mas com muita dificuldade. Falando em Bahia, baiano não tem h viu? ;x Adorei o texto, já tinha pensado na mesma coisa! Concordo com o que disseram, para se ter globalização não significa mudar as tradições ou abandoná-las; para mantê-las nós devemos ao máximo nos esforçamos para não deixá-las mudar demais, ou acabar. No Nordeste ainda tem muito lugar que prioriza as festas realmente típicas. ;*

  16. Gostei muito do seu texto, escreve muito bem…
    Um abração.

  17. Bah! É triste pensar como as tradições andam se perdendo…

    Eu nasci e cresci em cidade do interior! Vivi quadrilha, fiz muita trancinha e pintinhas para ir nas festas juninas na minha cidade. Aquele frio, aquele vento, tomar quentão era uma delícia!

    A mesma coisa o Carnaval! Bloco, serpentina, camarotes, cinco noites com marchinhas de carnaval, matinê com os mais novos… hoje em dia, minha cidade é morta no carnaval! Vai todo mundo pras raves nessa época, escutar música eletrônica!

    Adorei o texto! Parabéns!

  18. Denis
    Achei demais esse seu texto, mto legal msm.
    Aqui em minas as festas juninas ainda conservam algumas tradições, mas muitas ja sumiram. Não vemos mas muitas das brincadeiras, mas as comidas o povo aqui matem, é bolinho caipra, pastel, caldinho, vinho quente, quentão, enfim td que uma verdadeira festa junina precisa ter… hehehehe
    Temos que aproveitar o maximo tudo agora pq não sabemos quando tudo isso vai durar.
    Parabéns!!!
    Bjos

  19. Denis, aqui no Maranhão ainda não se sente falta de festas juninas CLÁSSICAS. Festa junina aqui é tradição, e sinceramente é o melhor evento do ano, a moda antiga e gostoso de se viver. Entretanto, como disse a Fran no primeiro comentário, você usou de um exemplo simples pra demonstrar as mudanças causadas pela globalização, que realmente são muitas e que fazem falta pra mim, que gosto de analogia. xD
    Também gostei muito do seu modo de escrever, dos detalhes. Incrível!
    Outro dia tentei fazer um post assim justamente sobre esse assunto e resumir logo, pois me perdir em tantos detalhes que vinham na memória.
    Beijão.

  20. Gostei do seu texto, o modo que você escreve me fez lembrar um livro que li quando criança, não lembro o titulo ou o autor, e o assunto não tem nada a ver com o do texto, mas me fez lembrar também que nessa epoca agente participava na escola de quadrilhas e tudo mais e que hoje em dia não é a mesma coisa. Recentemente fui a um aniversário bem na semana de são joão e depois de muito tempo o DJ largou um fórro e uma lambada os adolecentes que estavam dançando as musicas de antes sumiram e ficou somente uma galera mais velha, eu e meui irmão foi comico e tragico, pensei na mesma hora como essas crianças irão continuar com essa tradição? E olha que aqui no nordeste isso realmente é tradição, mas na capital isso está cada vez mais ficando para o interior mesmo.
    valeu pelo texto viu? seu blog já etá nos meus favoritos. um abraço!

  21. adorei o blog, ótimo texto.
    seu senso de descrição é incrível.parabéns! x)

    xx

  22. Oi Denis. Amei o seu post. É uma pena que os costumes estejam se perdendo por aí, onde quer que você esteja. Aqui em João Pessoa ainda continua assim. Pelo menos eu e minha família e amigos sempre fazemos as festas com fogueira, quentão, pé-de-moleque, bombas, fogos, roupinha de chita, trancinha no cabelo, barraca do beijo e tudo. E é uma das festas mais esperadas do ano pra muita gente aqui. Quer uma dica? Próximo ano dá uma passada nas cidades do nordeste. As festas juninas aqui são lindas e cheias de tradições ainda. Mais ainda se você for pras cidades pequenas do interior, aquelas que não tem milhões de habitantes e todo mundo se conhece pelo nome. Faz um pequeno tour e garanto que você vai se encantar 😀

  23. Ahhh realmente muitas dessas coisas são difíceis de encontrar, mas em Pernambuco, principalmente no interior ainda tem tudo isso!
    Se quiser conferir, com certeza será muito bem recebido, já que as pessoas são muito hospitaleiras por aqui.
    E não esqueça de quando vir, trazer o marco luque..kkk
    parabéns pelo blog!

  24. eita realidade cruel! eu moro em São Luís_Ma e Festa Junia é tradicional (ainda graças a Deus!) mas já se perdeu muita coisa! Fogueira só pra aquecer os pandeirões do Bumba-meu-Boi, bandeirinhas em alguns lugares, fogos ainda tem bastante, agora não tenho que reclamar das comidas tipicas, entre cachorro quente e arroz de cuxá, o arroz ganha disparado e as quadrilhas, o tambor de crioula e o bumba-meu-boi, brincadeiras regionais que se mantem bravamente!

    Parabêns pelo belissimo texto!

    Bjks fique com Deus!

    Marines_São Luís_Ma

  25. Maravilhoso o texto e o blog… muito bom refletir sobre isso… hoje acontece tudo tão rapido q acabamos não pensando nas coisas, obrigada pelo texto e por ter essa oportunidade de voltar a tradição já tão esquecida! Um grande abraço!
    Parabéns!!

  26. Seu ponto de vista envolve as pessoas a enxergarem o além das coisas! Amei!

  27. Outro dia recebi fotos da festa junina de meu sobrinho neto. Levei um susto: todas as crianças estavam vestidas no estilo country. Chapéu de texano, botas. Em lugar das tradicionais pintinhas no rosto das meninas, muita maquiagem. Em vez das trancinhas, cabelos lisos, produzidos a escova. Curioso como tudo mudou rápido, nem tinha me dado conta de que não havia mais festas juninas a caráter…

  28. Adorei!!! Infelizmente acabei chegando no mundo quando estas tradições ja estavam quase fora de moda… e só vivi festas juninas mesmo com a familia… Pq as festas juninas de hoje em dia… Bem… sem comentário!!! Hoje, mais conhecidas como “Quermesses” estão cada vez mais perigosas… Brigas, assaltos, tiroteios…etc.
    Este texto me fez lembrar de histórias que meus pais me contam de quando eram mais jovens…
    Pena que essa tecnologia toda de hoje em dia tem feito cada vez mais estas tradições chegarem próximas ao fim…
    Lindo texto… Lindo mesmo…Parabéns!!!

    Regiane C.M.

  29. Eiii, Denis, achei muito interessante você comentar sobre tradição…realmente como anda esquecida essa palavra. Mas como aqui no Brasil nós precisamos nos lembrar dela, com nossas maravilhosas festas tipicas, indigenas, de interior, caipiras e tantas outras. Na Espanha, por exemplo, acredito que eles deveriam esquecer ou, pelo menos, repensar as tradições de touradas e corrida com os bois, porque essa semana um rapaz morreu atropelado e perfurado pelo animal.

    Ahh..e tem mais..venha pra Minas, porque aqui no interior nós ainda temos as tradicionais festas juninas, com quentão, vinho quente, fogueira, vestidinho xadrez e quadrilha…

    Um grande beijo!!!

    Fernanda – Uberaba – MG

  30. boom, não sei escrever bem como vc, por isso não vou ficar enchendo meu comentário de coisas inúteis e após você ler pensará: “quê?”.
    Então apenas vou dizer .. nossa, parabéns, você disse tudo em apenas três parágrafos, explicou exatamente o que quis expressar, muito boom *-*

    beijos.

  31. Muito bom!!! Mas deixa eu te dar uma dica, na minha terra ainda tem a maioria dessas coisas e muito mais. Isso eh que eh bom no nordeste, nos valorizamos muito as tradicoes. Te convido desde ja, para ano que vem, ir curtir o Sao Joao do nordeste.

  32. Sei que ao dizer isso posso parecer um pouco anarquista (que não sou), mas o que está em questão não é a globalização em sí e sim a adoração ao capitalismo!
    Ter lucro em uma festa folclórica, através da venda de produtos de outras tradições e descaracterização dos costumes locais.
    Parece até uma feira das nações, rsrsrrs.
    Abraços.

  33. nao sei quais festas juninas andam frequentando mas eu nunca vi alguma com comida japonesa…

  34. Olá! Achei esse blog por acaso tbm… e olha, uma sopa de feijão essa época do ano não vai nada mal… rs… e veja bem, hoje em dia acho difícil mesmo tradicionais festas juninas em clubes ou na rua como antigamente… Pra manter a tradição tem que ir pra um sítio de alguém ou alugar um né…. e fazer sua própria festa com direito a correio elegante, fogueira e quadrilha com casamento… esse ano eu fiz a minha, festas com um pouco de tradição, musica caipira e tals são mt legais!!!!!

  35. Realmente e infelizmente é a mais pura realidade né?! Muito triste ter perdido essa tradição… mas em alguns cantinhos ainda perdura. Mas aqui em Curitiba tá difícil achar uma autêntica. Fora que não fazem cachorro quente com purê (na verdade desconhecem) e quentão pra eles é vinho quente. E quentão ñ existe rs… só indo pra Sampa pra achar uma Festa Junina decente como fui fds passado rs. Ótimo texto! Beijo! Mi Bragantini

  36. Nossa adorei o seu texto, mesmo. Eu sou mineira mas moro no Pernambuco desde que me entendo por gente. Adoro festa junina e agradeço por aqui ainda ter festas tradicionais com todas aquelas barraquinhas, delicias e com certeza o forrozinho. Deve ser porque acima de TUDO aqui ainda resta a raíz desse povo que eles tanto se orgulham. O São João daqui é muito famoso, tem tradição e é bom ver que aqui eles estão cuidando para que isso não acabe. Esse ano a cidade de Caruaru que é um grande pólo de shows nessa época do ano, mudou a programação, pois as bandas de forró estilizado, muito diferente do tradicional pé-de-serra estavam “dominando”. Achei legal, além de gostar muito de forró estilizado porque isso mostra que o estado está afim de preservar a cultura e também ajudando na divulgação desse estilo musical o qual já é passado de geração em geração.

    Beijo.
    Gabriela

  37. Poxa, verdade! Tenho 17 anos e pra ser sincera nunca vi uma festa junina com pau de sebo! Hahaha… Aqui onde moro, costumamos improvisar uma quadrilha nas festas “julhinas”, haha. Essa é uma parte negativa da globalização, não é mesmo? Quantas vezes ficamos tão impressionados com as maravilhas da globalização e acabamos nos esquecendo nossas origens? Certamente é algo para refletirmos! 🙂
    Belíssimo texto! Parabéns! E agradeça ao seu irmão pela força que ele te deu no twitter; foi por lá que tomei conhecimento desse texto!
    Beijão, sucesso!

  38. caramba!nem preciso dizer que como boa nordestina tb sinto muita falta dessa tradição das festas juninas…
    sempre amei esse período, mas de uns tempos pra cá, realmente mudou demais…
    ótimo texto! ótima reflexão…
    Sucesso!

  39. mto bom o texto.

  40. Tbém gostei do texto e realmente a sua conclusão foi perfeita.

    Aqui em minha cidade, Taubaté-SP, o Sesc promoveu uma festa junina tradicional e tivemos oportunidade de recordar todas essas tradições.

    Claro que tudo ficou registrado nas milhares de câmeras digitais e celulares e estão devidamente postados nos sites de relacionamentos.

  41. Adoreii o texto, qdo fui lendo ficava pensando…mas isso não é festa junina.
    Infelizmente a tradicional Festa Junina está acabando. Uma coisa que adoro e não é mais como era.
    Parabéns pelo texto.

    Abraço
    Luiza Maria

  42. Muito bom o texto, gostei msmo! Mas eu tava aki pensando… Não sei como é aí na capital, mas pelo menos nas minhas cidades, no interiorrrr paulista, as coisas ainda continuam iguais! As festas são sempre cheias de pipoca, pé-de-moleque, quentão, vinho-quente, bandeirinhas, e claro, a fogueira! Todo mundo vestido à caráter e dançando sem parar! A diversão é sempre garantida! Por isso às vezes fico pensando, no quanto é bom morar aqui! Respirar o ar do interior e ainda viver e reviver todos os anos essas festas tão tradicionais do nosso grande Brasil! Beijão querido! Se cuida!

  43. Denis, adorei seu texto e realmente corresponde com a realidade só que em certos lugares esse passado não era tão forte, por exemplo na paraíba, onde moro, e em pernambuco, onde acontem os maiores e melhores são joãos do país, isso nunca foi a verdadeira tradição, e sim os coretos e praças públicas lotadas de gente, sem roupa de matuto, ao som de muito forró rasta pé e baião, que ocorre até hoje com uma única diferença que o forró foi total vulgarizado, mas enfim..seria bom que mantivéssemos a tradição de um bom forró pé de serra também..Parabéns, abraço.

  44. Acho que não só a tradição, mas a educação, o respeito e muitos outros “hábitos” antigos se perderam neste mundo globalizado…
    Sabe como é né?
    É melhor perder alguns hábitos e deixar o cliente feliz do que perder emprego…

    Gostei da comparação!!

    Keila

  45. Bons tempos em que se tocava realmente “música de festa junina”,agora se toca até Funk e as pessoas tem medo de ficar até mais tarde.

    Belo texto,muito bom!
    Sucesso pra vocÊ. (:

  46. Foi-se o tempo em que viajávamos em busca de coisas diferentes. Com “essa tal de globalização” tem tudo em todo lugar!
    Felizmente escolhi uma profissão(paixão) onde o produto final é um pouco difícil de ser transportado. Até dá pra colocar as “novas arquiteturas” em containers(contentores?… nem sei a palavra em português), ou reproduzir edifícios similares aos antigos, mas garanto que retirar as obras já construídas de seu devido lugar não é tarefa fácil!
    Espero que nunca seja fácil, pois essa é a principal razão da maioria de minhas viagens. É como um resquício de tradição, lutando por seu território!

  47. Pois é! Festa Junina para mim tem cheiro de Quentão e pipoca! Aqui em Santos a festa já está muito mudada, com todos os exemplos que você deu. Mas algumas coisas se salvam. Em São Vicente tem até concursos de quadrilha, lindo lindo, com aqueles passos que aprendiamos na escola…

    Ai, ai… Seu texto me deu uma saudades…

  48. muito bom o texto, realmente a tradição esta caindo, e hoje não temos mais tantas coisas como antigamente, assim como hoje é raro vermos crianças brincando na rua, pois elas estão enfurnadas dentro de casa, brincando com um video-game, assistindo televisão, ou na internet, a globalização esta tirando aquilo de mais bonito que tinhamos. Mas o que fazer?! hoje o mundo é outro, os ladrões e violência chegaram tomando conta de tudo, e tivemos que nos adaptar, pena que essa adaptação nos tirou costumes lindos, assim como quando os colonizadores chegaram e acabaram com toda uma tradição!

    Seu texto foi explendoroso! Parabens!

  49. estou pesquisando as festas juninas e folclore e gostei muito dos seus exemplos, pori sso eu falei na escola disso e dei o site para todo mundo e eles entrarão, muito obrigado pela a ajuda.

  50. Ótimo texto… São Paulo realmente perdeu referência em suas festas juninas… as comidinhas não são mais as mesmas, as músicas não são mais as mesmas…
    Ano, passado estive fazendo o circuito forró da BOA no RJ, e lá sim a tradição permanece, os docinhos e as comidinhas, o estilo junino forró… as familias vão… com avós, netos, filhos, maridos e namorados… todos curtindo o som, as comidas e o “friozinho”, as crianças vestidas e até mesmo os adultos, não totalmente a carater mas com assessórios que remetam às festas.
    De qualquer forma…o texto deu saudades da infância no interior quando chegava a época das quermesses da igreja…

  51. Gostei muito do seu texto, é tudo isso mesmo a gente não encontra mais aquela maravilhosa tradição.
    eu vou tentar este ano fazer uma festa junina mais com muita tradição.

    parabéns!!!
    bjs

  52. Verdade as tradições da festa junina não é mais como antes as barracas de cadeiras,comidas típicas,camisas de xadrez,vestidos de quadrilha…
    Enfim temos que resgatar a cultura da festa junina!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: